FICA AÍ PENSANDO, PENSANDO ENQUANTO EU VOU ALI VIVER

É meu querido, há tanta coisa pra se pensar antes de amar, antes de viver. Há tanta coisa pra resolver, pra passar a limpo, pra entender.

Há tantos cálculos a serem feitos – medir a profundidade do mergulho, analisar se vai ser mais uma queda, uma dor, um erro. Há tantas análises psicológicas a serem feitas – será que vai ser mais uma mágoa? Será que estamos preparados? Será que ainda não é cedo demais?

É meu querido, você precisa de um tempo maior para ter certeza, você precisa de mais ingredientes para ter coragem, você precisa de mais compreensão para estar preparado para amar de novo.

Mas pode ser que quando, finalmente, você tiver tudo aí na sua alma e coração, o passarinho do amor terá voado, solto, sozinho.

Enquanto você fica aí na beirada desse rio de experiências que é a vida, eu já mergulhei de cabeça e coração, fui até a outra borda, senti se dava pé, te acenei de dentro e passei de fase.

Enquanto você fica aí arrumando seus aparatos para se assegurar de tudo, para salvaguardar a sua pele e dos outros (como se fosse um deus, como se isso prevenisse sofrimento), eu já me joguei, cai, aprendi com a dor dos joelhos ralados, aproveitei o vento de liberdade no meu corpo nu, deixei a energia vital transcorrer todo o meu ser.

Ah, se as coisas pudessem ser prevenidas! Ah, se o excesso de cuidado e zelo facilitasse mesmo o nosso caminhar! Ah, se a gente soubesse mesmo encontrar a hora certa de amar, se a vida se abrisse limpinha para que o que é novo pudesse entrar e o que é velho adormecesse em paz!

Mas a vida é roteiro de acasos e sustos, surpresas e imprevistos. Quem cria redomas para si mesmo não anda, não ama, não amadurece. Precisamos abrir janelas para que ventos novos nos sacudam, nos desestabilizem, nos tragam sombras e luzes.

E que a gente possa ver, viver, amar de olhos abertos, aprendendo com o que é dor e aproveitando ao máximo o que é alegria. Porque, por essa mesma janelas que entram tufões, chegam doces calmarias.

Que obrigação é essa de querer só fazer escolhas certas? Que jeito de viver é esse que se apega mais aos medos do que à alegria de amar? Que desperdício de vida é esse, que prefere observar de fora, limpinho, sequinho, do que se jogar na lama, na chuva, na brincadeira?

Quando a gente anda e ama e perde os medos, a gente aprende que a nossa bagagem, o que nos fortalece e protege são as nossas experiências. A única forma de libertação é se permitindo participar da dança da vida. Quem vive com coragem, continua caindo e levantando, amando e reamando, chorando e sorrindo, e aprende que tudo é positivo, tudo é crescimento, tudo é transitório e belo. Tudo vem para agregar conteúdo e enriquecer a alma.

O medo já não existe mais, no lugar dele fica serenidade, amor e confiança.

Então, meu querido, segura minha mãe e salta comigo. Tudo o que temos é esse momento divino, tudo o que podemos fazer é aprender juntos e crescer com esse encontro. Tudo o que sentimos transborda nesse presente momento e inunda a vida toda e o nosso entorno.

E que seja intenso enquanto dure!

NUNCA TERMINE UM RELACIONAMENTO DIZENDO “VOCÊ MERECE ALGUÉM MELHOR”. QUEM AMA NÃO ENTREGA OS PONTOS

Quando você se foi, eu achei que morreria. Quando você se despediu de mim eu achei ser uma brincadeira e custei acreditar.

O dia amanhecia e eu não conseguia sair do quarto, e nossa, como tudo aquilo doía. Olhava para o celular esperando alguma mensagem tua e a saudade me visitava todos os dias de um jeito avassalador.

Eu achei que não iria suportar te ver novamente e que meu coração ficaria em pedaços, impossível de torná-lo inteiro novamente.

Eu achei que iria desmoronar e que não iria mais conseguir acreditar em nada e nem ninguém, afinal você prometeu que ficaria pra sempre.

O melhor abraço se foi, o meu sorriso no final do dia cansado já não estava mais ali e aos poucos fui aprendendo a lidar com a tua ausência. Com a tua partida.

Você se foi sem ao menos me dizer os porquês, aquelas tuas falas clichês só machucaram ainda mais o meu coração. Você disse adeus com desculpas que não são verdades.

Não suportava ouvir alguém dizer o quanto você falava sobre mim, de como sou uma pessoa incrível e que mereço alguém melhor. Nossa, meu coração ficou em pedaços. Quem ama entrega os pontos? Joga nos braços do outro como quem não quer fazer o menor esforço para ficar?

Eu desmoronei, mas não morri, eu deixei de acreditar, mas é por pouco tempo eu sei. A gente demora pra se recompor dos versos, das cartas, das mensagens e das histórias que criamos a dois.

Eu não vou esbanjar felicidade e sair por ai postando fotos como quem está feliz, mas também não vou me esconder e deixar de viver. Por mais que seja difícil, a gente não pode entregar os pontos por alguém que não quis ficar.

Eu só queria dizer que sinto muito, não por mim, por você. Mas eu entendo que nem todo mundo consegue segurar um coração inteiro com as duas mãos. Nem todo mundo consegue não deixar escapar pelos dedos quando ele pulsa. Nem todo mundo consegue não quebrá-lo e entregar ao outro em pedaços.


Eu compreendo que nem todo mundo consegue ver o que tem em suas mãos e por bobeira, deixa escapar achando ser sem valor. Por um tempo eu acreditei que você o cuidaria, por um tempo achei que nunca me devolveria em pedaços… por um tempo eu o entreguei.

Quando você se foi, eu percebi o quanto sou forte, o quanto eu mereço alguém que cuide do meu coração assim como eu tentei cuidar do seu e que ao invés de me dizer que mereço uma pessoa melhor faça de tudo para ser esse alguém.

Não quero e nem preciso de alguém que me entregue nos braços de outro e ainda diga que isso é amor.


Se eu pudesse lhe dar um conselho hoje seria exatamente assim “Não brinque com um coração que o daria por inteiro sem pensar duas vezes, não brinque com um coração que dispara feito um atleta em plena corrida, apenas por ver teu sorriso”

Hoje eu vejo que você segurou um coração inteiro com apenas uma mão, e não podendo conter suas pulsões o esmagou na tentativa de segurá-lo. Típico de um amador. Típico de quem não sabe amar.

É IMPORTANTE OUVIR O QUE OS OUTROS PENSAM DE VOCÊ

As coisas estão complicadas no trabalho de Ana. Apesar dela dar o seu melhor todos os dias no trabalho, algumas pessoas não gostam muito dela.

Ana nunca foi de comparecer nas dinâmicas de feedback do seu trabalho. Para ela, as pessoas falam bobagens sem pensar.

Pera lá, Ana! Não é bem assim…

Para Ana perceber a verdadeira importância do feedback, ela precisa aprender sobre a Janela de Johari.

Em 1955, Joseph Luft e Harrington criaram a Janela de Johari, com o objetivo de auxiliar o entendimento da comunicação interpessoal e relacionamentos em grupos.

Na primeira parte da janela Ana deverá fazer uma autoavaliação que é dividida em 2 quadrantes:

O quadro “Conhecida pelo Eu” é como a Ana se enxerga e se avalia. Na parte “Desconhecida pelo Eu” são todas as características que Ana não consegue ver que tem ou que ainda não se manifestaram em sua personalidade.

Na segunda parte da janela, teremos a perspectiva pelos outros, que também é dividida em 2 quadrantes:

Na área “Conhecida pelos Outros” são como as pessoas enxergam a Ana. Por outro lado, a parte “Desconhecida pelos Outros” são todas as características que os outros não conseguem enxergar em Ana.

Juntando todas as partes teremos a Janela de Johari completa:

Os 4 quadrantes terão as seguintes definições:

Área aberta: São todas as características que Ana e outros conseguem enxergar nela. Por exemplo, Ana se considera uma pessoa muito dedicada e todos no trabalho tem essa mesma visão sobre ela.

Área oculta: É a parte da personalidade de Ana que ela vê, mas que os outros não conseguem enxergar. Por exemplo, Ana se considera uma pessoa com muita energia e animada, mas os outros a enxergam como uma pessoa séria.

Área cega: São todos os pontos que as outras pessoas enxergam em Ana, mas que ela não consegue perceber. Exemplificando: Todos dizem que Ana fala muito alto, sendo indelicada em vários momentos. Ana considera que tem um bom tom de voz.

Área desconhecida: É a parte da personalidade de Ana que nem ela e nem os outros conseguem ver, geralmente são habilidades que ela ainda não descobriu que tem talento. Por exemplo, Ana tem aptidão para tocar piano, mas só descobrirá daqui a 5 anos em sua primeira aula.

O quadrante mais importante é a área aberta. Quanto maios esse quadrante, mais transparente você é e mais saudáveis são os seus relacionamentos.

A diminuição das áreas oculta e cega também é essencial.

Ainda não entendeu, né Ana?

O feedback é muito importante, pois sempre haverá comportamentos que você tem, que não consegue enxergar: como o próprio nome já diz, você é cego nesse quadrante.

Leia mais: Respeite o meu direito de não querer te ouvir ou ver

A partir do momento que você recebe o feedback, essas características (sejam positivas ou negativas) migram para o quadrante da área aberta.

O problema é que sempre haverá a área cega em nossas vidas, sempre haverá coisas que não enxergamos que fazemos ou que agimos, por isso é tão importante a cultura de feedback.

Conselhos finais que eu daria para Ana:

Seja uma pessoa humilde. Tenha consciência que sempre haverá possibilidade de melhoria!

Valorize a opinião dos outros. Mesmo que os outros pensem diferente de você, tente pelo menos ouvir e entender o lado da pessoa…ouvir nunca é demais!

Leia mais: Pessoas que se arrepiam ouvindo música têm cérebro especial

Espero que, assim como a Ana, as pessoas tenham como uma cultura o hábito de receber e pedir feedbacks constantemente!

Saber reconhecer os pontos fortes, e melhorar os pontos fracos, faz de todos nós pessoas melhores.

EVITAR OS HOMENS. ESTE É O CONSELHO DE UMA MULHER DE 109 ANOS PARA VIVER MAIS

De acordo com a centenária Jessie Gallan, de 109 anos, homens trazem muito mais problemas do que benefícios à saúde da mulher.

Por isso, ela está convicta em afirmar que para viver mais de 100 anos você só preciso tomar mingau quente todas as manhãs e evitar homens.

Jessie nunca quis se casar, sempre teve uma vida difícil, vivendo em uma fazenda bastante simples, onde dividia colchões de palha com os cinco irmãs e um irmão na hora de dormir.

A velhinha simpática ainda admite que faz exercícios físicos, mas que acredita que a fonte da juventude para a mulher é ficar bem longe dos homens.

A teoria de Jessie pode ter fundamento, pois, a mulher mais velha do mundo, que já passou dos 116 anos, está viúva desde 1931 (mais de 80 anos) e nunca mais teve marido.

Em 2014, uma pesquisa feita com pessoas centenárias nos Estados Unidos revelou que o segredo da vida longa está em ter amigos, família e praticar exercícios físicos regularmente.


De acordo com a centenária Jessie Gallan, de 109 anos, homens trazem muito mais problemas do que benefícios à saúde da mulher.

NASA PUBLICA A MAIOR FOTO DO MUNDO. ELA VAI PERTURBAR A SUA NOÇÃO DO UNIVERSO

Aviso:
Não tente fazer o download dessa imagem no seu computador!

No dia 15 de janeiro do ano passado, a NASA – Agência Espacial Americana, divulgou uma imagem da Galáxia de Andrômeda; a galáxia mais próxima da Terra.

Esta obra de arte foi capturada com a ajuda do

telescópio espacial Hubble e gravada no vídeo abaixo.

 Como eles fizeram isso?

Prepare-se.

411 fotos foram tiradas e montadas uma ao lado da outra, para criar a maior fotografia já tirada no mundo.

O resultado?

Um arquivo de 1,5 bilhões de pixels que ocupa cerca de 4,3 GB de espaço em disco.

Há uma vídeo para você ter ideia.

Aumente a resolução para melhorar sua experiência:

Isso nos faz pensar no quão insignificante nós somos… (Simplesmente incrível)