10 NOMES FEMININOS MAIS POPULARES NO BRASIL E O QUE DIZEM SOBRE A SUA PERSONALIDADE

Se terá um bebê em breve, o nome que você escolher será uma decisão que a criança carregará pelo resto de sua vida.

Muitos optam por homenagear alguém, como um parente querido, ou simplesmente por gosto e beleza, mas saber o significado dos nomes e os mais escolhidos no Brasil podem o ajudar a apostar na escolha certa.

De acordo com dados do site Baby Center Brasil, no último ano o nome feminino Sophia foi o mais escolhido pelos pais.

A informação vem de um cadastro de mais de 80 mil bebés nascidos nessa época. Veja abaixo os 10 nomes mais populares no Brasil e um resumo da sua personalidade. Faça a escolha ideal para o seu bebê.

SOPHIA
Esse nome é de origem grega. É bastante comum em diversos países e tem como inspiração também a celebridade Sophia Loren, atriz italiana que levou o Óscar nos anos 60.

O significado de Sophia, ou da variação Sofia, gira em torno da sabedoria. Aquela que é cheia de conhecimento.

ALICE
Esse nome é de origem germânica. É um clássico bastante conhecido pela personagem central do filme Alice no País das Maravilhas, uma obra de Lewis Carrol. Uma das variações de Alice é Alicia e seu significado tem origem nobre. Aquela que reina.

JÚLIA
Esse nome é de origem latina. É bastante comum em diferentes culturas e também conhecido pela cineasta e documentarista brasileira Julia Bacha. Com as suas variações Giulia e Juliana, significam juventude. Aquelas cheias de vida.


ISABELLA
Esse nome tem origem hebraica. É um nome com muitas variações, entre elas Isabel, Isabelle, Elisa e Elizabeth. Ficou popular com a rainha da Inglaterra, no trono desde 1952. O seu significado é consagrada de Deus. Aquela abençoada.

MANUELA
Esse nome é de origem hebraica. Entre as suas variações estão Manuele, Emanuelle(a) e Manoela. Significa que Deus está conosco, também uma forma de protegida ou que protege.

LAURA
Esse nome é de origem latina. Tem variações nos nomes Laurie, Lauriana e Laurinda. Seu significado está em torno da vitória. Aquela que é vitoriosa.


LUIZA
Esse nome é de origem germânica. As suas variações são Luísa, Louise e Lois. Seu significado representa uma guerreira gloriosa. Aquela que tem coragem.

VALENTINA
Esse nome é de origem latina. Tem como variação o nome Valentine. Seu significado representa aquela que é cheia de disposição e vida.

GIOVANNA
Esse nome é de origem italiana. Entre as suas variações estão Joana, Giana e Giovana. Seu significado é aquela agraciada por Deus.

MARIA EDUARDA
Esse nome duplo tem origem hebraica e anglo-saxã. Suas variações são Miriam, Marian e Marie. Seu significado representa a soberania e aquela protetora da riqueza.

AMOR-PRÓPRIO FORA DE CONTROLE É SINAL DE DOENÇA

No egocêntrico mundo dos que se admiram excessivamente e estão centrados apenas no próprio umbigo, é difícil conseguir delimitar onde termina a personalidade autoconfiante e onde começa o narcisismo patológico.

Conforme alguns estudos, os homens, os atletas e as celebridades são mais propensos a desenvolverem características narcisistas, mas a atual era da superexposição – facilitada pela tecnologia – tem deixado todos mais vulneráveis a essa condição.

A pessoa autoconfiante pode até ter alguns traços narcísicos – todo mundo tem e, até certo grau, é importante –, explica a professora da pós-graduação em psiquiatria da Faculdade Ipemed de Ciências Médicas Gilda Paoliello. “Isso vai te instigar, vai te fazer se sentir seguro”, diz.

Mas o limite se perde e o problema aparece quando vira realmente um traço de personalidade predominante. “Para o narcisista, o interesse maior é impressionar e seduzir. Na verdade, a maioria deles é muito insegura, mas usa isso como uma máscara”, afirma.

A noção psicológica de narcisismo foi descrita no século XIX, com base no personagem jovem e belo da mitologia grega, condenado a admirar seu reflexo nas águas de um lago.

Depois de Narciso, a teoria psicanalítica desenvolvida por Freud caracterizou como narcisismo primário uma etapa primitiva no desenvolvimento infantil em que a criança descobre seu corpo. “O narcisismo saudável é aquele que todo mundo tem, nasce com ele”, diz a psiquiatra Sofia Bauer.

Definido pela primeira vez em 1980, o transtorno de personalidade narcisista pertence hoje a uma categoria de patologias que integra o Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais (sigla em inglês, DSM). A origem da falha no caráter pode estar no cérebro, conforme um estudo francês.


A sensação de grandiosidade, a necessidade de admiração e a falta de empatia podem ser apontadas como as três principais características do problema, mas a psiquiatra complementa. “Quem tem esse distúrbio necessita o tempo inteiro de autoafirmação. Geralmente, não tem companhia, não tem relacionamentos, não enxerga o outro e, com isso, vai se isolando”, afirma Bauer.

Os narcisistas representam 1% da população, e o youtuber Guilherme Rocker, 25, já esteve entre eles. Em vídeo, ele confessou que já foi um “doentio admirador de si mesmo”.

“Me olhava no espelho antes de ir dormir, levava o acessório no bolso e, quando abraçava alguém, eu olhava meu reflexo. Essa personalidade nunca me atrapalhou, mas as manias, sim”, reconhece.


Depois de analisar estudos publicados ao longo de 31 anos, a pesquisadora Emily Grijalva descobriu que os homens apresentam personalidade narcisista com mais frequência do que as mulheres.

O comportamento dos atletas também é uma preocupação para os psicólogos esportivos, uma vez que o meio se tornou um possível caminho para a notoriedade e a fama, segundo o presidente da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte (Abrapesp), Rodrigo Acioli.

Para ele, o narcisismo em atletas passa a prejudicá-los quando as atitudes que o caracterizam assim se sobressaem e são consideradas mais importantes do que seus objetivos e resultados. “O trabalho da psicologia do esporte pode ser individual ou em grupo, de acordo com as necessidades de cada um”, explica.

O poder e a notoriedade também favorecem uma tendência maior ao transtorno em políticos e famosos, conclui estudo da Universidade do Sul da Califórnia (USC). A atriz Lindsay Lohan foi diagnosticada com o transtorno de personalidade narcisista, por ser obcecada com o modo como os outros a veem.

Na mesma pesquisa, a USC identificou ainda que os participantes de reality shows têm índices de narcisismo mais elevados que atores, músicos e humoristas. Recentemente emparedada, Emilly, do “Big Brother Brasil 17”, especulou sobre o porquê de ter sido alvo dos brothers. Em conversa com seu amado Marcos, ela disparou: “Eu brilho muito, e isso incomoda as pessoas”.

Na análise de Gilda Paoliello, Donald Trump e Barack Obama são exemplos nítidos de narcisismo versus autoconfiança. “Obama é autoconfiante e nunca precisou colocar suas questões pessoais para ocupar a presidência. Trump simboliza a falta de empatia e faz referências a todo momento sobre como é um bom administrador e empresário”, explica.

Segundo a professora, “o narcisista fantasia muito e constrói castelos na areia, como o empresário Eike Batista fez”, exemplifica a psiquiatra.

A VONTADE DE MORDER O SEU BEBÊ TEM UMA EXPLICAÇÃO CIENTÍFICA

Preste atenção no comportamento das pessoas quando se deparam com um bebê. É comum ouvir frases como “Nossa, que vontade de morder” ou “Vou apertar essa fofura!”.

E o pior: as sentenças são, na maioria das vezes, pronunciadas entre dentes cerrados, com aquela expressão de quem realmente vai espremer aquele ser indefeso e pequenino, apesar de não existir uma vontade real de fazer mal ou machucar a criança. Pode admitir.

Você mesmo já disse ou sentiu isso ao olhar para o seu filho, não é?

De acordo com um estudo de um grupo de pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, há uma explicação científica por trás dessas reações contraditórias.

Responder a uma experiência positiva com uma emoção negativa é uma forma de o cérebro humano regular suas emoções diante de situações que mexem com o nível dos sentimentos.

“As pessoas podem recompor o equilíbrio emocional com essas expressões”, diz a cientista da área da psicologia e líder da pesquisa, Oriana Aragon. “Elas parecem surgir quando estão dominadas por fortes emoções positivas.”

De acordo com o estudo, o mecanismo funciona mais ou menos assim: você vê um bebê tão fofo que se enche de um sentimento enorme de adoração. Para regular o corpo, depois de uma dose pesada de emoção, o cérebro manda reações contrárias, com o objetivo de reequilibrar as emoções causadas por aquele excesso.

O princípio é o mesmo para aquelas situações em que choramos de alegria e rimos de nervoso.


Para chegar a esse resultado, os autores da pesquisa reuniram um grupo de participantes que viam imagens de bebês fofos e registravam suas emoções. Em vez de apenas sorrir e emitir sons de admiração como “Oh” ou “Ah”, muitas pessoas respondiam às imagens com palavras relacionadas à agressão, usando palavras como “apertar”, “morder” e até “socar”.

O estudo concluiu também que as pessoas que regulam seus sentimentos dessa maneira, com o uso de expressões contrárias, tem mais facilidade de se recompor após viver emoções extremas.

Então, da próxima vez que alguma tia vier apertar as bochechas dos seus filhos ou que você mesma sentir vontade de morder os pezinhos do seu bebê, não se espante. É normal (desde que ninguém machuque, de fato, as crianças)!

CAMINHAR NA PRAIA É TUDO DE BOM E TRAZ MELHORIAS IMPORTANTES PARA A SAÚDE

Você está há um tempão sem fazer uma atividade física, chega à praia e se enche de coragem e energia para iniciar aquela caminhada.

Maravilha! Mas alguns cuidados são essenciais para evitar problemas e, mais do que isso, para garantir os benefícios que essa atividade proporciona à saúde.

“A caminhada é excelente, além de ser acessível. A pessoa sedentária que começa a praticar por 30 minutos, pelo menos três vezes por semana, logo sente melhorias na pressão arterial, musculatura, peso… Sem falar que estimula a prática de uma atividade regular”, diz o educador físico Tarcísio Muniz, o Tatto, do Espaço Equilíbrio Fitness & Health.

1. Horário

“O ideal é entre 6 horas e 9h30, quando o sol não está tão forte e o desgaste do corpo é menor, assim como a partir das 17h30”.

2. Alimente-se e hidrate-se

“Tem gente que pensa que caminhando em jejum vai emagrecer mais rápido. Isso é um erro. O que acontece é a queima de massa muscular”. Assim, tome um bom café da manhã. E pode beber água antes, durante e após a caminhada.

3. Respiração

“Inspire 100% pelo nariz e solte o ar pela boca”, alerta Tatto. Quem caminha respirando pela boca corre o risco de forçar o diafragma e sentir aquela dorzinha incômoda.

4. Roupas e tênis


Escolha shorts e camisetas do tipo dry fit, que ajudam no processo de transpiração, meias de algodão e tênis adequado para a atividade. Não esqueça o filtro solar, viseira e óculos de sol.

É IMPOSSÍVEL SER FELIZ AO LADO DE QUEM RECLAMA DE TUDO

Por mais que saibamos que a felicidade praticamente depende de nós mesmos, de como encaramos a vida, os fatos, os dias e suas atribulações, tem gente que parece ter o dom de impedir a paz de quem estiver ao seu lado.

Se já é difícil mantermos certa serenidade nesse mundo violento de hoje, em que crises econômicas pipocam aos quatro cantos e o trabalho nos toma muito tempo e energia, torna-se quase impossível sorrirmos perto de pessoas que só reclama e criticam, e pior, em voz alta.

Existem pessoas que nunca parecem estar bem, como se nada pudesse satisfazê-las, uma vez que jamais passam um dia sem enxergar problemas pela frente.

Se estão em férias, sentem-se entediadas; se estão trabalhando, vivem cansadas; se estão viajando, reclamam do hotel; se estão bem de saúde, alguma preocupação perturba.

Sempre se sentem incomodadas com alguém que dizem lhes tratar mal, com o chefe que dizem ser deseducado, com o amigo que dizem ser ausente.

Da mesma forma, nada do que dissermos ou fizermos por elas surtirá algum efeito positivo, nada terá o poder de retirar-lhes do círculo vicioso das lamúrias e da infelicidade constantes.

Por mais que tentemos, por mais que mostremos o lado bom das coisas e/ou das pessoas, nada as convencerá de que muitas causas de suas queixas infinitas encontram-se nelas mesmas.

Estão por demais acostumadas a olhar somente para fora de si, com olhos negativistas, portanto, voltar o olhar para si será uma tarefa impossível.


Isso não quer dizer que não devamos tentar ajudar quem esteja perdendo o que a vida tem de bom, de tanto que carregam olhares ruins, tampouco nos impede de tentar compreender que aquele comportamento certamente possui um histórico pessoal difícil.

Não podemos julgar as pessoas somente pelo que vemos hoje, pois elas já passaram por muita coisa até então, ou seja, conforme o grau de nossa proximidade com elas, cabe-nos orientá-las nesse sentido.

Mesmo assim, caso não consigamos promover mudança alguma no comportamento do outro, caso ele mantenha uma postura pessimista, reclamando e se lamuriando além da conta, isso acabará por interferir na nossa vida, pois é praticamente impossível conseguirmos sorrir ao lado de alguém negativo demais.


Daí a importância de mantermos ao nosso lado gente do bem, gente positiva, gente que luta, para que não desistamos de buscar a felicidade, para que nossos sonhos não sejam neutralizados pela negatividade de ninguém.

DESCOBRI PORQUE HOMENS USAM LUVAS NA ACADEMIA

Pois bem. Estava eu na academia, sofrendo para concluir minha série interminável, quando o vi. Ele estava no aparelho da frente. Era muito bonito (e sabia se vestir!)

Não usava aqueles tênis coloridos abomináveis, sabe? Ele usava tênis claros, que combinavam perfeitamente com a camisa. Usava também uma bermuda preta, que combinava com as luvas do mesmo tom.

Pensei: “bonito desse jeito e bem vestido? Não é pro meu bico.” Daí, ele olhou na minha direção e sorriu.

Pensei :“só pode ter passado alguma “gostosona” atrás de mim”. Não dei bola e fui para o outro aparelho. Comecei a contar a série, quando vi que ele sentou no aparelho da frente outra vez e continuava sorrindo na minha direção.

Pensei: “deve ser coincidência, a série dele é parecida com a minha.” Só que cada vez que eu mudava de aparelho, ele mudava também, sempre para o da frente e sorrindo muito.

Pensei (eu penso muito): “será que ele está me seguindo?” Resolvi então fazer um teste: fui encher minha garrafa de água. Afinal, encher a garrafa não faz parte da série e se ele viesse atrás, é porque estava me seguindo mesmo… Bom, eu estava paradinha prestes a encher a garrafa, quando ele parou ao meu lado.

Perguntei se ele queria passar na frente e ele disse “não, pode ir primeiro. Eu espero atrás de ti.” Tá. Mentalizei o mantra: “não olha para minha bunda, não olha para minha bunda, não olha para minha bunda!”

Mas o bebedouro é espelhado e vi que ele olhou, kkk. Então, ele também não era gay. Bom, na hora que virei e ele começou a puxar papo: “nunca te vi por aqui, blá blá blá…” chegou uma loura, deu uma cutucada no ombro dele e disse: “e ae, já ‘terminasse’ a tua série?! Acabei de ver a tua mulher e as crianças na praça de alimentação!”


Ele ficou mais vermelho que a camisa do Inter! E eu caí na real! Eram como bombas estourando na minha cara! O miserável é casado (bum!) e tem filhosssss (bum bum!!). Ele usa luvas para esconder a aliança (buuuuuuuum!)

Moral da história: quando alguma coisa parecer boa demais para estar acontecendo contigo, é porque não está acontecendo mesmo, rs.

Dei tchau e fui “me alongar.”