A Criança Que Morde

Geralmente a criança morde quando está enfrentando alguma dificuldade e utiliza a mordida como uma forma de expressar seus sentimentos. Em situações de perdas, medos, dificuldades, a criança morde para sinalizar que algo não está bem com ela.

A mordida não deve ser considerada “normal” é uma reação exagerada dentro de uma fase do desenvolvimento infantil.

É comum que aconteça nas escolas de educação infantil crianças com aproximadamente dois anos de idade apresentarem este comportamento.

Nessa idade a criança encontra-se na fase oral do desenvolvimento da personalidade.

Geralmente os adultos correm e atendem a criança que foi mordida. Ela sentiu dor, chorou e deve ser cuidada e confortada. A criança que mordeu não pode ser deixada de lado, ela precisa ver que seu ato machucou e provocou dor no amiguinho. Aproveitar o momento em que está assustada pelo seu ato agressivo e demonstrar que isso não foi aprovado, mas que poderão ajudá-la dando-lhe atenção e que ela não vai mais precisar fazer isto, mas jamais tratá-la com agressividade.

A falta de atividades lúdicas, de cuidados e atenção por parte dos adultos deixa as crianças ociosas e carentes e podem ser, por vezes a causa das mordidas constantes, tanto na escola como em outros momentos da vida social.

A mordida é sempre uma situação que exige bom senso por parte de todos os envolvidos, tanto os pais da criança que mordeu como os pais da criança que foi mordida. É importante que os adultos conduzam essa situação aproveitando para ensinar regras de convivência, de respeito e limites.

Cabe aos adultos, pais e professores a tarefa de mediar as relações entre as crianças, a fim de amenizar os sentimentos negativos da situação evitando que esse comportamento se repita.

Na maioria das vezes o desejo da criança ao morder um amiguinho não é machucá-lo, mas obter algum brinquedo. As mordidas acontecem nas mais diferentes situações, e a criança vai testando os efeitos de seus atos.

Por exemplo, se ao morder, os adultos atendem seus desejos; se as outras crianças cedem a disputa pelo brinquedo ela aprende que esse meio é eficaz.

Esse é mais um dos momentos do desenvolvimento infantil que exige pais presentes impondo limites.

Qual Arquétipo De Jung Melhor Descreve Você?

Carl Gustav Jung foi um psiquiatra e psicoterapeuta suíço que fundou a psicologia analítica. Jung propôs e desenvolveu os conceitos da personalidade extrovertida e introvertida, arquétipos e o inconsciente coletivo.

Seu trabalho tem sido influente na psiquiatria, psicologia e no estudo da religião, literatura e áreas afins.

O conceito central da psicologia analítica é a individuação – o processo psicológico de integração dos opostos, incluindo o consciente com o inconsciente, mantendo a sua autonomia relativa. Jung considerou a individuação como o processo central do desenvolvimento humano.

Ele acreditava que há arquétipos inconscientes que afetam profundamente o nosso comportamento. Encontramos esses arquétipos em mitos, contos de fadas e até mesmo dentro de nós mesmos! Faça o teste e descubra qual é o seu arquétipo: explorador ou herói? Talvez até rebelde?

Entenda qual é o papel da psicanálise

A Psicologia, assim como muitas outras profissões, possui diversas áreas de atuação e, entre elas, está a Psicologia Clínica. Nessa área específica, trabalha-se três grandes linhas de pensamento para compreensão do homem: a Comportamental, Humanista e a Psicanálise.

Hoje vamos falar sobre a Psicanálise! Você sabe qual o papel seu papel na busca pela saúde mental? Conhece sua origem, conceitos e seu objetos de estudo? Acompanhe esse post e entenda como essa ciência pode ajudar na compreensão e desenvolvimento do equilíbrio nas pessoas!

O que é a Psicanálise?

A psicanálise é uma ciência que, através da investigação da mente, busca caminhos para compreensão e superação dos distúrbios nervosos, fobias e traumas. Para isso, ela tem como princípio básico a relação entre os comportamentos/sentimentos e desejos inconscientes.

Isso quer dizer que a psicanálise busca analisar o que há no subconsciente, para compreender e propor caminhos para a solução dos distúrbios, através do acesso a instintos, impulsos e anseios, considerados fontes da energia para a execução de ações e sentimentos.

Como surgiu a Psicanálise?

Essa ciência teve início na década de 1890, com os estudos do médico neurologista Sigmund Freud. Ele buscava um tratamento efetivo para seus pacientes acometidos por sintomas neuróticos. Ele acreditava que esses desequilíbrios tinham origem na falta de aceitação cultural gerando, assim, a repressão dos desejos inconscientes e fantasias de ordem sexual.

O objeto de estudo da psicanálise é o inconsciente: ele é a fonte de energias, desejos reprimidos e velhas lembranças. Através da análise por associação livre, a pai da psicanálise estudava criteriosamente até mesmo os sonhos próprios e os dos seus pacientes.

Desde do surgimento da teoria de Freud, a psicanálise desenvolveu-se em maneiras e caminhos diferentes. Por isso, atualmente, há diversas escolas dessa mesma ciência.

Psicologia x Psicanálise x Psiquiatria: qual a diferença?

Muitas pessoas têm dificuldade de entender as diferenças básicas entre a psicologia, a psicanálise e a psiquiatria. Contudo, essa confusão é normal, afinal as três áreas, embora distintas, trabalham para o alívio do sofrimento mental.

Conheça os objetivos de cada área e entenda suas diferenças de abordagem e tratamento.

Psicologia

Trata-se do estudo das relações humanas e seus comportamentos. Nos cursos de Psicologia, os alunos têm uma formação holística, tanto das principais teorias e abordagens terapêuticas, quanto de questões fisiológicas do corpo humano.

Psiquiatria

É uma área da Medicina que atua nos transtornos mentais através da administração de remédios específicos. Nesse caso, para se exercer a profissão, é necessário passar pelo curso de medicina e, mais adiante, por uma especialização ou residência em psiquiatria. Estuda-se, na universidade, linhas de psicoterapia como a psicanálise.

Psicanálise

É um terapia que tem como princípio fundamental a análise do inconsciente humano. A psicanálise pode ser praticada tanto por psicólogos, psiquiatras ou por outros tipos de profissionais que tenham passado pelo curso preparatório em uma das Sociedades Brasileiras de Psicanálise.

Saúde mental: qual o papel da psicanálise?

Nos centros e hospitais psiquiátricos, cada vez mais cresce a procura por psicanalistas clínicos. Isso porque o seu trabalho é primordialmente compreender o diagnóstico do paciente e orientá-los na melhor maneira de tratamento. Neste caso, a contribuição e colaboração do paciente é de extrema importância para o sucesso terapia e cura dos transtornos.

Enquanto os psiquiatras, que já atuam na área da saúde mental a mais tempo, tratam somente os sintomas decorrentes dos distúrbios e transtornos. A psicanálise atua de maneira mais efetiva, através de vários recursos terapêuticos, buscando sanar a raiz do problema para se alcançar a cura.

Como escolher um curso para formação em psicanálise?

Vivemos numa epidemia de casos de depressão. Temas como a ansiedade e a saúde mental nunca foram tão discutidos. Devido a esses fatores, tem crescido muito no Brasil a oferta de cursos em psicanálise.

Muitos desses cursos são baratos e acessíveis e prometem uma formação rápida do psicanalista. Mas será que é possível confiar em todos esses cursos? Como é possível escolher um curso para a formação em psicanálise?

Tentando responder a essas questões, selecionamos algumas dicas exclusivas para ajudá-lo na sua escolha. Confira!

Verifique a qualidade dos professores

Toda boa formação começa com professores qualificados. Aqueles que passaram por um rigoroso treinamento psicanalítico e têm anos de atuação na área.

Então, o primeiro requisito para ficar atento é a qualidade dos professores. Escolha os cursos com os professores mais qualificados e mais experientes. Eles serão a pedra fundamental da sua aprendizagem.

2. Escolha um curso amplo e diversificado

A psicanálise, assim como outras áreas do conhecimento humano, possui várias vertentes, formas diferentes de se encarar o mesmo trauma psicológico. Para pessoas de fora do ramo, isso pode parecer confuso. Mas essa diversidade é essencial a uma boa prática psicanalítica.

Com um curso amplo e diversificado, você tem acesso a mais ideias e mais formas de pensar. Sua visão de mundo aumenta. Além disso, você fica com melhores condições de escolher qual linha você mais se identifica dentro da psicanálise.

Então, na hora de escolher, não hesite: escolha um curso amplo e diversificado.

3. Procure um curso que tenha uma sólida formação teórica

Independente da linha que você for seguir, é essencial que o curso da sua escolha ofereça uma formação teórica sólida.

A psicanálise é complexa e exige tempo e dedicação para ser entendida. Ela só será devidamente aprendida com uma formação que exija do aluno empenho e muita leitura das obras clássicas da área.

Então, fuja de cursos que tentam encurtar a teoria ou a apresente de forma muito simplista. Complexidade, nesse caso, é um fator positivo.

4. Procure um curso que ofereça a análise pessoal

A boa prática da psicanálise começa com a análise pessoal. Todo psicanalista de qualidade, além de realizar a análise dos seus pacientes, também é analisado por outro psicanalista.

Então, um bom curso é aquele que ofereça essa análise. Que ensine não só a fazê-la, mas que procure realizá-la no aluno.

5. Procure um curso que forneça supervisão de casos clínicos

Além de uma formação teórica forte e de análise pessoal, é essencial também que o curso forneça a supervisão dos casos clínicos.

Aprender a lidar com a saúde mental e psíquica das pessoas não é brincadeira. É um aprendizado sério. Por isso, é essencial que o aluno seja supervisionado nos seus estágios clínicos.

Essa supervisão feita por uma pessoa experiente é crucial para que aluno adquira a confiança e experiência necessárias para profissão. Esse feedback é parte crucial do processo de aprendizagem.

Por que o curso de psicanálise pode ajudar profissionais de outras áreas?

É muito comum encontrar psicólogos e médicos interessados e envolvidos com a psicanálise, uma tendência que promete continuar crescendo. O que poucas pessoas sabem é que os conceitos do curso podem ajudar outras áreas também. Ficou surpreso? É isso mesmo!

Como explora conhecimentos para fazer a leitura eficiente de algumas pessoas, o curso de psicanálise também pode ajudar advogados, coachs, teólogos e vários outros profissionais. Entenda melhor como isso funciona na postagem de hoje.

A importância de ler as pessoas

Você provavelmente já ouviu que a linguagem corporal fala muito, certo? Isso significa que, se quisermos entender bem o que as pessoas estão querendo comunicar, devemos dar mais atenção a esse ponto.

Algumas pessoas afirmam que a nossa comunicação não verbal é mais eficiente e revela mais de nós mesmos do que aquilo que falamos. Ou seja, a forma como agimos e nos movimentamos revela muito sobre nossa personalidade — mas poucas pessoas sabem entender e interpretar isso.

Um psicanalista que é acostumado com essas técnicas, por exemplo, consegue perceber quando um paciente mente ou tenta omitir alguma coisa. E mais: consegue ainda ter sinais da razão por que ele está tendo esse tipo de comportamento, o que é muito importante.

Esses indícios fazem com que, com o passar do tempo, ele consiga trabalhar e estimular para que o paciente fale a verdade e seja franco sobre suas emoções. Entretanto, como você deve imaginar, isso tudo só foi possível porque ele conseguiu “ler a pessoa”, ou seja, entender o que ela disse, mesmo que não tenha verbalizado.

Com o passar do tempo, é possível identificar até mesmo personalidades mais perigosas, como os sociopatas. Como eles não costumam apresentar expressão ou nenhum sinal corporal, fica mais fácil perceber e identificar a ausência de sentimentos — o que pode ser um grande alerta. Com o método certo também é possível tratar e amenizar esses desvios de personalidade.

Os benefícios dessa prática

Para entender como um curso de psicanálise pode trazer muitas vantagens para outros profissionais, elencamos aqui alguns benefícios dessa prática. Depois que você entender cada um desses pontos, vai ficar mais fácil perceber que a necessidade de ler as pessoas é ainda mais necessária do que muitas pessoas pensam.

Perceber se a pessoa está mentindo ou não

Como falamos acima, esses conceitos fazem com que seja mais fácil perceber se uma pessoa está falando mentira ou não — um ponto muito relevante para muitas profissões.

Se você é um advogado, por exemplo, consegue entender se o seu cliente está falando a verdade e, caso não esteja, criar mecanismos para fazer com que ele fale. Essa é uma maneira de entender melhor o caso e tomar atitudes mais coerentes com o que realmente aconteceu.

E este é apenas um exemplo. Se você é um coach, também precisa entender melhor se o seu cliente está sendo franco ou não. Esse ponto é fundamental para o desenvolvimento de um trabalho sólido, pois só com verdades você consegue criar um plano que atenda o que ele realmente precisa quando o assunto é vida profissional.

Tomar uma decisão mais acertada

Decidir alguma coisa apenas com base no que a pessoa fala pode não ser o suficiente. Isso porque ela pode estar verbalizando alguma coisa, enquanto a sua linguagem corporal está comunicando algo totalmente diferente.

Se você não consegue perceber isso, é claro que vai tomar a decisão em cima dos seus conhecimentos. Ainda assim, a decisão pode ser mais acertada se você conseguir ler o contexto de forma completa, concorda?

Investir nos conhecimentos transmitidos por um curso de psicanálise é um ótimo caminho nesse caso, pois assim fica mais fácil enxergar o todo e decidir com embasamentos mais profundos.

Conhecer as emoções e motivações verdadeiras

Conforme vai desenvolvendo a técnica, você aprende a ler as pessoas — mas também a estimular para que ela fale a verdade e consiga lidar com as emoções de forma mais madura. Esse é um ponto fundamental em várias questões, podendo ajudar muito.

No caso de um teólogo que promove ensino e ajuda espiritual, por exemplo, é muito importante entender o que realmente motiva a pessoa a estar ali. E mais: você pode ensinar a pessoa a ressignificar as emoções, fazendo com que lide com cada uma delas de forma sadia e equilibrada.

Onde fazer um curso de psicanálise

Depois de conhecer todos esses benefícios, é bem natural que você esteja se perguntando onde estudar todos esses conceitos. O curso mais famoso é aplicado em Viena (Europa), que é também o berço da psicanálise. Ainda assim, contamos com boas opções aqui no Brasil, sendo que vários dos cursos são ligados à Associação Internacional de Psicanálise (IPA).

As opções mais comuns são a Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro e a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. Vale lembrar que esses cursos contam com um limitador: são oferecidos apenas para psicólogos ou médicos.

Se este não é o seu caso, contamos também com cursos de pós-graduação de várias faculdades renomadas no mercado nacional. Elas podem ser públicas ou privadas, mas garantem o aprendizado de muitos conhecimentos.

Para fechar, não poderíamos deixar de falar das modalidades online. Elas seguem crescendo como uma excelente alternativa para estudar de acordo com seu ritmo e sem ter que lidar com as dificuldades de deslocamento. Pesquise alternativas sérias e compromissadas e considere seguir esse caminho.

Quando escolher o curso, é bom perguntar qual é a corrente divulgada ali, pois existem vertentes diferentes dentro da psicanálise. Um exemplo é Jacques Lacan, um grande psicanalista depois de Freud, mas que rompeu com o IPA e criou seu próprio consultório. Eles são conhecidos como lacanianos, mas sem reconhecimento do IPA.

É bom escolher um instituto sério para estudar, pois a psicanálise é uma teoria complexa e que requer muita dedicação. Ainda assim, os benefícios e resultados são excelentes!

Agora que você já entende melhor como esse tipo de capacitação pode ajudá-lo — independentemente de ser um psicólogo ou médico — comece a estudar e aplique essas vantagens no trabalho ou na vida pessoal.

Vantagens de fazer um curso de psicanálise a distância

A psicanálise tem se tornado, cada vez mais, um aprendizado importante para quem quer garantir uma atuação profissional mais completa. Ainda assim, pode ser difícil se preparar e incluir essa atividade em uma rotina cada vez mais atribulada.

Se você se enquadra nessa situação, temos uma boa notícia: você pode fazer um curso de psicanálise a distância. Uma oportunidade e tanto, não é mesmo? Conheça agora algumas vantagens desse método e certifique-se de que a aprendizagem a distância pode ser um bom caminho para a formação psicanalítica.

Facilidade em conciliar estudo e trabalho

Como anteriormente mencionado, o dia a dia das pessoas encontra-se cada vez mais intrincado. Isso acaba dificultando a introdução de qualquer nova atividade na rotina, pois há poucos espaços disponíveis. Tente imaginar como pode ser árduo encaixar um curso presencial algumas noites da semana. Seria necessária uma extensa programação para que isso se concretizasse, concorda?

Um curso de psicanálise a distância traz uma grande vantagem nesse sentido: você pode conciliar a atividade educacional com a atuação profissional, sem a necessidade de realizar grandes mudanças. Dessa forma, pode-se escolher os melhores horários para estudar, sendo possível, inclusive, encaixar uma aula entre um paciente e outro ou no momento em que o consultório apresenta um fluxo menos intenso.

Oportunidade de seguir o próprio ritmo

Esse é outro grande diferencial, já que se torna possível seguir as aulas conforme seu ritmo pessoal e não de acordo com um cronograma traçado por uma instituição de ensino. Se você não entendeu alguma coisa ou gostaria de assistir uma matéria mais de uma vez, por exemplo, pode fazer isso sem nenhum tipo de constrangimento.

Não ter que lidar com deslocamento

Um torna possível que você economize seu tempo, sem a necessidade de ficar horas em função do deslocamento. Todas as atividades acontecem no conforto do seu lar e na hora que for mais adequada para você.

Acredite: muitas pessoas já desistiram de um curso por conta do desgaste com o deslocamento — um ponto que acaba sendo impeditivo ou que pode até comprometer o seu desempenho.

No caso dos cursos online, tudo se encontra disponível a um clique de distância. Em consequência disso, resta mais tempo para o convívio com a família ou até mesmo para se aprofundar nos materiais compartilhados. Convenhamos: esse é um grande diferencial, não é mesmo?

Chance de desenvolver um hobby

Inexistindo a cobrança de prazos e da aprendizagem acelerada, o estudo dos conceitos de psicanálise pode adquirir o perfil de hobby. É claro que você está aprendendo e pode incorporar esses conhecimentos à sua profissão, mas o aluno pode encontrar muito mais prazer em determinada atividade se fizer isso a sua maneira e no seu ritmo.

Excelente custo-benefício

Geralmente, um curso online é sinônimo de economia. Além das mensalidades serem mais baixas, você não precisa gastar com transporte, alimentação e materiais complementares. Isso significa que você tem acesso aos mesmos conhecimentos oportunizados por uma atividade presencial, pagando menos por isso.

Acesso a vários materiais complementares

A internet oferece uma infinidade de materiais riquíssimos e que podem ser amplamente explorados durante o curso. Muitos textos e livros podem estar disponíveis bem mais próximos de você em uma biblioteca digital.

E o melhor: você pode otimizar a leitura explorando vários dispositivos, como o notebook, o celular, o tablet e leitores digitais, como o kindle.

Agora que você já sabe que um curso de psicanálise a distância oferece inúmeros benefícios, não deixe de considerar essa hipótese. Você vai se surpreender com o resultado e se sentirá um profissional ainda mais completo depois dessa experiência.

Saiba quando é hora de procurar um psicanalista

“A dor é inevitável, o sofrimento é opcional”, já dizia o poeta. Mas existem alguns sofrimentos que se prolongam por mais tempo do que deveriam e, quando você percebe, já se transformaram em um muro aparentemente intransponível. Isso porque grande parte das amarguras humanas está relacionada, direta ou indiretamente, ao medo.

Você pode nem se lembrar direito daquele fato vivido ainda na infância, mas que repercute em diversos comportamentos da vida adulta, às vezes sem uma causa aparente. E aí surgem as repetições de circunstâncias em um ciclo vicioso, atingindo em cheio sua saúde. Descubra quando é hora de procurar um psicanalista para amenizar os incômodos que têm tirado sua paz.

Quando procurar um psicanalista

Antigamente, procurar um psicanalista era aconselhado para tratar perturbações mentais mais graves. Ao longo das décadas, graças à evolução da psicologia, o aperfeiçoamento da terapia ampliou o leque de atendimentos direcionados para estes profissionais.

Hoje, os consultórios psicológicos lotados refletem uma sociedade amedrontada devido ao estresse, depressão, insônia, síndromes diversas, fobias e dificuldades de se relacionar. Esses problemas nem sempre se resolvem apenas com o tratamento medicamentoso. Por isso, é importante procurar um psicanalista para tentar ajudá-lo a superar essas adversidades.

Paciência e perseverança

O acúmulo de funções, a correria cotidiana, o consumo desenfreado e a consciência de buscar uma melhor qualidade de vida alimentam um emaranhado de problemas que você, obviamente, tem pressa de resolver.

Mas muita calma nessa hora: o aconselhamento psicológico flui conforme as particularidades de cada pessoa e requer um prazo, normalmente médio ou longo, para que seja possível usufruir dos benefícios do processo. Lembre-se de que o psicanalista não é um deus e nem possui uma fórmula mágica para resolver suas questões. Portanto, a paciência é fundamental para desenvolver o autoconhecimento.

Ajuda oportuna

Um dos objetivos da psicanálise é ressignificar os fatos, abordando fatores que permitem reconsiderar os acontecimentos através da mudança da sua visão de mundo. Sabe aquele medo de dirigir, a dificuldade de superar a perda conjugal ou ter de lidar com um chefe extremamente exigente?

Você não precisa, necessariamente, ficar o resto da vida recorrendo ao transporte público, nem se fechar para novos relacionamentos e muito menos abandonar o emprego. Na verdade, a necessidade de procurar um psicanalista vai depender muito do impacto do sofrimento frente às suas posturas e decisões.

Basicamente, se algo te incomoda a ponto de pensar o dia todo e, principalmente, se impossibilita ou altera negativamente suas atividades cotidianas, é porque você não está conseguindo lidar com a situação do seu jeito. Portanto, é a hora de buscar uma nova forma para aliviar suas angústias.

Equilíbrio psíquico

É importante ressaltar ainda que todas as pessoas podem enfrentar conflitos que levam ao desequilíbrio de ordem emocional. Porém, o que as diferencia, do ponto de vista psicológico, são as alternativas que buscam para sanar a causa desses incômodos.

Por isso, a psicanálise não é uma opção temporária ou superficial, mas sim um método assertivo e gradativo de transformação profunda e duradoura, proporcionando o amadurecimento emocional e a tão almejada reestruturação da autoestima.

Agora que você já descobriu o quanto procurar um psicanalista pode ajudá-lo a aliviar as dores da sua alma, deixe sua opinião ou dúvida nos comentários.

Como a psicanálise pode ajudar na vida profissional? Entenda!

A vida profissional pede cada vez mais equilíbrio. Afinal de contas, nela temos que saber como lidar com a liderança, com os pares, com os clientes e com diversos públicos – o que pode, muitas vezes, não ser tão fácil.

Para resolver esse impasse e lidar melhor com a situação, muitas pessoas têm optado pela terapia, trabalhando bem a cabeça, o comportamento e a personalidade para conseguir sucesso nesse desafio. Veja hoje como a psicanálise pode ajudar nesses casos!

Grandes oportunidades

Para ser verdadeiramente assertivo no trabalho, é importante ser eficaz. E essa eficácia, por sua vez, tem um envolvimento direto com a facilidade de se relacionar bem e gerenciar conflitos, afinal de contas, eles acontecem com uma recorrência cada vez maior.

Para conquistar isso, a observação e a auto-observação são pontos muito importantes, pois ajudam na compreensão e na empatia, características fundamentais para o trabalho.

Veja como as pessoas se portam, o que elas revelam como valores e todos os detalhes que sejam relevantes para você. Assim, você conseguirá perceber quais comportamentos deve copiar, quais deve evitar e ainda que caminho deve seguir para se relacionar com cada um deles.

Além disso, a auto-observação também pode trazer ganhos incríveis, pois percebemos nossas fraquezas e pontos de melhoria, assim como os pontos que nos destacam. Tendo essas ferramentas e fazendo um uso adequado, você vai conquistar muitas mudanças, se relacionar melhor e pode até mesmo abrir portas de promoções no emprego.

Gerenciamento de equipes

Engana-se quem pensa que a terapia pode ajudar apenas as pessoas que se reportam aos líderes. A observação pode ajudar muito na hora de gerir a sua equipe, explorando os pontos fortes e ajudando a sanar possíveis dificuldades.

E não é só isso: ela ajuda também a tratar os conflitos que podem surgir dentro do grupo, como com algum colaborador desestimulado ou aquele que tem um perfil mais tempestuoso. Assim, você conseguirá atuar de forma mais certeira – o que não é nada fácil!

Os problemas, sejam eles entre os pares ou com a liderança, podem trazer sentimentos de desgaste, aversão, desmotivação, estresse e ansiedade. Motivos de sobra para mudar a conduta e melhorar a performance do time, certo?

Aceitação de diferenças na vida profissional

O trabalho em equipe envolve pessoas muito diferentes e, para ter sucesso, é importante saber lidar com elas da forma mais saudável e natural possível. Para ajudar, a terapia pode revelar estratégias comportamentais e de tratamentos que podem auxiliar bastante.

Sendo mais leves nos relacionamentos, conseguimos ceder com mais facilidade, entender o lado do outro e saber que as pessoas podem ser igualmente competentes de maneiras diferentes.

Além disso, a psicanálise também pode ensinar a lidar com os sentimentos e a encontrar a tão sonhada satisfação na vida profissional com mais facilidade. Continuar se desenvolvendo e lidar bem com os pares pode ser um ótimo caminho para ter sucesso e autocontrole, pontos em que a terapia pode auxiliar muito.

Como você pode perceber, os problemas recorrentes da vida profissional podem precisar de um tratamento mais profundo e específico, como a terapia. A psicanálise pode ser uma grande aliada, trazendo ganhos incríveis para você e sua equipe.

E você, já começou a analisar alguns pontos da sua carreira e ficou com alguma dúvida? Não deixe de compartilhar suas reflexões nos comentários abaixo. Nos encontramos na próxima!

É possível ganhar dinheiro com a psicanálise?

 psicanálise é um método terapêutico que auxilia muitas pessoas no tratamento de seus problemas psíquicos, buscando a compreensão das raízes e o tratamento de problemas tão comuns hoje em dia, como estresse, depressão, ansiedade, fobias e muitos outros.

Muitos profissionais se dedicam e estudam para ajudar as pessoas, porém, além de ter conhecimento técnico e condições de oferecer o serviço de psicoterapia, alguns encaram também o desafio de gerenciar seu próprio escritório e conseguir se manter financeiramente com a renda gerada por ele.

Se você está na dúvida se deve investir nessa carreira, leia nosso post e veja se é possível ganhar dinheiro com psicanálise, manter o consultório cheio e fazer dessa atividade uma prática bem-sucedida e lucrativa!

Foque em um serviço de qualidade

O trabalho do psicanalista pressupõe lidar o tempo todo com pessoas, portanto, o profissional deve focar em estabelecer a melhor relação possível com seus pacientes e oferecer um serviço de qualidade, de modo que as pessoas queiram continuar usando seus serviços e façam recomendações para outros.

Para isso, conheça seus pacientes a fundo e procure fazer com que o atendimento seja o mais personalizado possível. Este detalhe fará com que o paciente se sinta valorizado e cuidado. Além disso, ele vai sentir que está investindo em um tratamento que de fato está sendo eficaz para sua vida.

Divulgue seu trabalho

Se você quer atuar como profissional liberal e ter um bom rendimento com seus atendimentos, precisa entender que, além do seu trabalho com psicanálise, terá que encarar esta atividade também como um negócio. Sendo assim, estratégias de marketing serão muito bem vindas para captar paciente e parceiros.

Se você gosta de escrever, pode criar um blog, escrevendo artigos e divulgando-os nas redes sociais para fazer seu nome circular. Outras opções são participar em palestras e encontrar novas formas e ocasiões para fazer networking. Se informar mais sobre empreendedorismo também pode te ajudar a ter ideias que vão movimentar seu consultório.

Construa sua reputação

Uma relação com respeito e confiança é essencial para um trabalho produtivo e eficiente na sua prática clínica. O psicanalista deve agir sempre com ética e investir em uma constante avaliação do seu serviço para construir credibilidade.

Alie sua experiência prática com os estudos e aposte em cursos, leituras e grupos de estudos que vão expandir seus conhecimentos, te manter mais atualizado e em contato com diferentes profissionais. Este ponto não só te deixa mais preparado para atender melhor seus pacientes como também te ajuda a fortalecer o networking, que pode te render bons frutos no futuro.

A reputação que você deseja construir deve refletir seu conteúdo. Ter uma boa cultura e formação, além de ter cortesia e jogo de cintura para lidar e saber acolher diferentes pessoas em diferentes situações, vão somar para que você construa seu nome no mercado.

Fazendo um trabalho consistente e de ótima qualidade, você certamente encontrará pacientes buscando seus serviços e manterá seu consultório ativo e sua agenda cheia! Consequentemente, vai poder colocar em prática as técnicas que aprendeu e acredita, ganhar dinheiro com psicanálise e ter uma carreira bem-sucedida. Aposte nessas dicas!

Gostou das nossas dicas? Tem alguma dúvida ou sugestão para captar pacientes? Compartilhe suas ideias com a gente nos comentários!

Terapia de regressão: por que todo psicanalista deve conhecer?

Nascida para analisar e compreender o homem como sujeito do inconsciente, a psicanálise tradicional usa como métodos a associação livre ou espontânea e a análise dos sonhos. No entanto, a Psicanálise Integrativa usa outras técnicas além das preconizadas pela Escola Freudiana, como a Terapia de Regressão, vista como uma manifestação do inconsciente.

Pacientes com fobias inexplicáveis, que atrapalham seu cotidiano, podem identificar e entender como essa situação aconteceu em sua memória e superar o incômodo com a ajuda de um profissional.

Sob o ponto de vista médico, a regressão pode ser vista como uma demonstração do inconsciente e pode modificar comportamentos compulsivos e ansiosos. Por isso, a terapia é recomendada para qualquer tipo de pessoa, independente de religião ou crença, já que não é preciso acreditar em vidas passadas.

Para que serve?

De acordo com a Psicanálise, o inconsciente grava todas as situações vividas na memória, que podem ser distorcidas de forma que sejam piores do que realmente aconteceram e levarem o indivíduo a interpretar esses eventos traumáticos como uma experiência pendente. Esse fato pode ser “revivido” a cada momento semelhante no presente.

A Terapia de Regressão ajuda o paciente a ver a situação novamente, sob um novo ângulo, para que perceba que não é tão grave e se liberte do trauma, como uma pessoa que tem medo de água por causa de um eventual afogamento, mas pode ver que a situação não foi tão prejudicial quanto ele acreditava.

Como funciona?

Ao procurar um terapeuta, o paciente tem duas sessões de entrevistas antes da regressão propriamente dita. São analisadas características de comportamento emocional, sentimental e físico, além da definição dos objetivos para o tratamento.

A partir da terceira sessão, o paciente passa à meditação, a fim de focar sua consciência e entrar num leve estado de hipnose para trazer à tona memórias do passado, que o bloqueiam emocionalmente, para que possa perceber e sentir o que se passou.

Há casos em que o paciente visualiza as situações como expectador de suas ações, fato que permite ter outro ponto de vista sobre a situação para compreender melhor o que de fato ocorreu e superar os traumas deixados pela experiência.

Por que é importante para o terapeuta?

Estar aberto às diversas formas de conhecimento do inconsciente, mesmo as que divergem do caminho tradicional, como a associação livre e a análise dos sonhos, abre um mundo de possibilidades ao psicanalista, já que é mais uma forma de lidar com os problemas relacionados a traumas que prejudicam o cotidiano do paciente.

No caso da Psicanálise Integrativa, a proposta é usar diversas técnicas para conhecer o inconsciente, que vão além das freudianas. Por isso, essa escola reconhece técnicas como a Terapia de Regressão, Acupuntura, Florais, Hipnose e Cromoterapia, além da Neurolinguística e tudo o que facilite a abordagem do inconsciente.

Esse tipo de abordagem permite a aproximação de terapeuta e paciente, pois é possível escolher o que deixa cada um mais confortável para chegar ao objetivo traçado sem causar mais traumas.

O aprofundamento das diversas técnicas para sanar os traumas do paciente pode ampliar os tipos de terapias oferecidas e deixar o trabalho mais completo e eficiente, já que nem todos ficam tranquilos com todo tipo de abordagens que mexam com lembranças guardadas.

Entendeu como a Terapia de Regressão pode ajudar o psicanalista a melhorar seu atendimento? Gostou do nosso artigo? Então deixe um comentário!