Como escolher um curso para formação em psicanálise?

Vivemos numa epidemia de casos de depressão. Temas como a ansiedade e a saúde mental nunca foram tão discutidos. Devido a esses fatores, tem crescido muito no Brasil a oferta de cursos em psicanálise.

Muitos desses cursos são baratos e acessíveis e prometem uma formação rápida do psicanalista. Mas será que é possível confiar em todos esses cursos? Como é possível escolher um curso para a formação em psicanálise?

Tentando responder a essas questões, selecionamos algumas dicas exclusivas para ajudá-lo na sua escolha. Confira!

Verifique a qualidade dos professores

Toda boa formação começa com professores qualificados. Aqueles que passaram por um rigoroso treinamento psicanalítico e têm anos de atuação na área.

Então, o primeiro requisito para ficar atento é a qualidade dos professores. Escolha os cursos com os professores mais qualificados e mais experientes. Eles serão a pedra fundamental da sua aprendizagem.

2. Escolha um curso amplo e diversificado

A psicanálise, assim como outras áreas do conhecimento humano, possui várias vertentes, formas diferentes de se encarar o mesmo trauma psicológico. Para pessoas de fora do ramo, isso pode parecer confuso. Mas essa diversidade é essencial a uma boa prática psicanalítica.

Com um curso amplo e diversificado, você tem acesso a mais ideias e mais formas de pensar. Sua visão de mundo aumenta. Além disso, você fica com melhores condições de escolher qual linha você mais se identifica dentro da psicanálise.

Então, na hora de escolher, não hesite: escolha um curso amplo e diversificado.

3. Procure um curso que tenha uma sólida formação teórica

Independente da linha que você for seguir, é essencial que o curso da sua escolha ofereça uma formação teórica sólida.

A psicanálise é complexa e exige tempo e dedicação para ser entendida. Ela só será devidamente aprendida com uma formação que exija do aluno empenho e muita leitura das obras clássicas da área.

Então, fuja de cursos que tentam encurtar a teoria ou a apresente de forma muito simplista. Complexidade, nesse caso, é um fator positivo.

4. Procure um curso que ofereça a análise pessoal

A boa prática da psicanálise começa com a análise pessoal. Todo psicanalista de qualidade, além de realizar a análise dos seus pacientes, também é analisado por outro psicanalista.

Então, um bom curso é aquele que ofereça essa análise. Que ensine não só a fazê-la, mas que procure realizá-la no aluno.

5. Procure um curso que forneça supervisão de casos clínicos

Além de uma formação teórica forte e de análise pessoal, é essencial também que o curso forneça a supervisão dos casos clínicos.

Aprender a lidar com a saúde mental e psíquica das pessoas não é brincadeira. É um aprendizado sério. Por isso, é essencial que o aluno seja supervisionado nos seus estágios clínicos.

Essa supervisão feita por uma pessoa experiente é crucial para que aluno adquira a confiança e experiência necessárias para profissão. Esse feedback é parte crucial do processo de aprendizagem.

Deixe uma resposta